Jacareí sente os efeitos da crise

Segundo pesquisa realizada pelo CIESP e pela FIESP, Jacareí e região apresentaram déficit na geração de empregos.

O nível de emprego industrial na Diretoria Regional do CIESP em Jacareí (região composta por três municípios) apresentou resultado negativo no mês de setembro de 2015. A variação ficou em -0,59%, o que significou uma queda de aproximadamente 100 postos de trabalho.

No ano, temos um acumulado de -3,02%, representando uma queda de aproximadamente 400 postos de trabalho. Nos últimos 12 meses, o acumulado é de -3,64%, representando uma queda de aproximadamente 500 postos de trabalho.

O índice de nível de emprego industrial em Jacareí foi influenciado pelas variações negativas dos setores de Bebidas (-2,38%); Máquinas e Equipamentos (-4,81%); Produtos de Minerais Não-Metálicos (-0,76%) e Produtos de Borracha e de Material Plástico (-0,42%), que foram os setores que mais influenciaram o cálculo do índice total da região.

Para o diretor do CIESP Jacareí, Ricardo Esper, a queda no número de contratações é resultado direto da crise econômica no qual o país está mergulhado.

“Vivemos um clima de incerteza. O que o governo anunciou ontem já não tem mais validade nos dias seguintes e isso, sem dúvida, prejudica consideravelmente a previsão de investimentos. O número de contratações ficou negativo em praticamente todas as regiões pesquisadas”, comenta.

Segundo Esper, as propostas de aumento de impostos também prejudicam o setor industrial.

“O governo federal acredita que a única saída para o déficit nas contas públicas e transferir a responsabilidade para empregadores e empregados. Temos uma carga tributária que compromete seriamente a competitividade dos nossos produtos, os serviços públicos não funcionam adequadamente, a nossa infraestrutura é deficiente e, ainda assim, querem aumentar tributos. A indústria não aceitará”, conclui.

Willian Martins, Agência Ciesp de Notícias.

Comente