Confiança redobrada: Sany amplia investimentos no Brasil

A notícia que todos aguardavam finalmente chegou. Em 17 de julho, o Grupo Sany e o Investe São Paulo assinaram no Palácio do Planalto, em Brasília, um acordo que prevê investimentos de US$ 300 milhões nas atividades do grupo no Brasil, incluindo a construção da fábrica na cidade de Jacareí (SP), num terreno de 560 mil metros quadrados adquirido pela empresa em 2011.

A cerimônia de assinatura contou com a presença da presidente Dilma Rousseff e do presidente da China, Xi Jinping. Em seu discurso, Dilma Rousseff afirmou que no setor industrial a relação bilateral se fortaleceu por meio do anúncio de investimentos da Sany que serão realizados no Brasil.

Local escolhido pela Sany para construir a unidade em Jacareí.

A primeira etapa da implantação, que deverá iniciar ainda este ano, terá 50 mil metros quadrados de área construída, e previsão de entrega em 2016. Ao mesmo tempo, a empresa começará a nacionalização e produção de guindastes e escavadeiras.

“Mas não é só isso”, diz o presidente da Sany Indústria do Brasil, Jinhua Yuan,“Investiremos pesado em pesquisa, pós-vendas e setor de peças. Hoje contamos com 10 distribuidores, 18 postos de serviço e estoque de peças, entre filiais e lojas autorizadas, possibilitando o atendimento em 100% de todo o país. Mas nossa meta é focar mais na rede de distribuidores, investir em treinamentos para os técnicos e na melhoria contínua de nossos centros de distribuição de peças, agregando mais velocidade e qualidade no atendimento aos clientes”.

Um novo Centro de Pesquisa também faz parte dos planos da Sany. O objetivo, segundo Sr. Yuan, é trabalhar sistematicamente na qualidade dos produtos para atender as atuais demandas do mercado mundial, a exemplo de novos equipamentos, como retroescavadeira, pá carregadeira e outros itens que compõem a completa linha de produtos do grupo.

“A Sany está plenamente confiante em sua decisão de aumentar os investimentos no país, e trabalhará pelo desenvolvimento sustentável no mercado brasileiro”, coloca o presidente. “As economias sino-brasileiras se complementam e, por isso, existe grande possibilidade de cooperação entre as partes. A visita do presidente da China desperta maior interesse de empresas chinesas realizarem investimentos no Brasil, contribuindo ainda mais com o setor de infraestrutura, como a construção de ferrovias”.

As informações são da assessoria de imprensa da Sany do Brasil

Agência Ciesp de Notícias

Comente